Hérnia de Disco: Tipos, Sintomas e Tratamento

Hernia-de-Disco-TiposHernia-de-Disco-Tipos-Sintomas-e-Tratamento-1Uma das funções da coluna vertebral é sustentar todos os ossos do corpo. Para suportar toda essa carga, que é muito grande, ela possui um sistema de amortecimento visando principalmente seu equilíbrio. Formada por discos intervertebrais constituídos por um tecido elástico que suporta deformação, porém, sofre um desgaste natural devido ao uso repetitivo. Isso conduz ao aparecimento de pequenas rupturas que facilitam o extravasamento de parte do disco, ou seja, a formação de uma hérnia, ocorrência muito mais comum do que se imagina, mas, geralmente, de boa evolução.

Hérnia de disco se faz pela projeção da parte central do disco intervertebral para além de seus limites normais. Ocorre geralmente póstero-lateralmente, pela falta de ligamentos que mantém o disco nessa região.

O disco intervertebral é uma placa cartilaginosa que forma uma almofada entre os corpos vertebrais. Após traumatismos, por exemplo, quedas, acidentes automobilísticos, esforço físico conduzido de modo exagerado ou inadequado, a cartilagem poderá sofre alguma lesão, comprimindo raízes nervosas.

Se a lesão for na área cervical (pescoço), os sintomas poderão ser:

Dor e rigidez na nuca, nos ombros e na escápula, dificuldade de movimentação dos braços, com sensação de formigamento.

Se a lesão for na região lombar os sintomas poderão ser:

Hernia-de-Disco-Tipos-Sintomas-e-Tratamento-1Dor lombar, no quadril e nas coxas, caminhando-se para a panturrilha e o tornozelo, dor acentuada ao espirrar, levantar peso, deformidade postural da coluna, dificuldade para andar e flexionar a coluna;

Dependendo do caso algumas hérnias de disco poderão ser tratadas sem a cirurgia, uma vez que, analisadas por profissionais capacitados para esse tipo de avaliação.

As sequelas variam desde desvios ao andar, perda parcial dos movimentos entre outras.

Hérnias de disco extrusas (hérnias em estado mais avançado da patologia) podem ser tratadas tanto com a retirada do disco herniado até com a artrodese da articulação (fixação das vértebras). E também com um tratamento mais novo conhecido como fixação dinâmica, ou próteses de disco, nas quais se preserva a mobilidade de articulação.

Dor nas costas pode ser hereditária

 

Sua dor nas costas pode ser hereditária, concluem estudos

Dor nas costas


As dores nas costas podem ser provenientes de inúmeros fatores, entre eles: a idade, o transporte de objetos pesados de maneira incorreta, problemas posturais, entre outros.

Estudos recentes adicionam um novo fator à inúmera lista, até então desconhecido por todos: a hereditariedade.

Esses estudos, embasados em inúmeras pesquisas com uma grande quantidade de pacientes, têm apontado para a genética como causadora de um grande percentual de pacientes que sofrem desse mal.

Foram analisadas famílias que possuíam vários casos em comum, tentando descobrir a origem do mal. Em muitas dessas famílias não foram relatados problemas dos pacientes com relação ao estilo de vida, exercício profissional, hábitos maléficos e vida sedentária. No entanto, agora os estudos vêm mostrando uma clara conexão.

Numa grande análise publicada no The Journal of Bone and Joint Surgery, pesquisadores da Universidade de Utah usaram registros de uma ampla base de dados de saúde e genealógica para estudar mais de 1 milhão de moradores do estado de Utah.

À medida que exploravam os dados, focavam em pessoas com discos herniados ou em degeneração  diagnósticos que normalmente resultam em dor crônica

Os dados mostraram que ter um parente de segundo grau (tia, tio ou avô/avó) ou parente de terceiro grau (primo) com a condição aumentava o risco de uma pessoa, independente de fatores ambientais.

Além disso, ter um membro imediato da família com essa condição aumentava o risco em mais de quatro vezes.

Outros estudos vêm fortalecendo a hipótese ao identificar pelo menos duas versões de um gene que produz uma proteína de colágeno e parece estar muito ligado à hérnia ciática e de disco.

dor nas costas genética

Sendo assim, o desenvolvimento de dores nas costas parece ter um componente genético