Câncer de Próstata: Diagnóstico,Prevenção e Exames

cancer-de-prostata-diagnostico-prevencao-exames

cancer-de-prostata-diagnostico-prevencao-examesCâncer de próstata, mesmo hoje em dia com tantas informações, debates livres e campanhas apenas 32% dos homens na faixa etária preventiva, ou seja, a partir dos 40 anos, procuram um especialista para fazerem o exame clínico de prevenção do câncer de próstata, mas a grande maioria deles sabe da importância do diagnóstico precoce, um dos grandes inimigos dessa prática é o preconceito.

A próstata, órgão responsável pela produção de líquido seminal, no qual vivem os espermatozóides, apresenta três principais doenças: inflamação (prostatite), hiperplasia benigna e câncer, por elas apresentarem sintomas parecidos é que se dá a importância de serem detectadas rapidamente.
Quanto antes for diagnosticado o câncer de próstata maior a possibilita de que o paciente seja curado, quanto mais tarde à descoberta do câncer menos a chance de cura.

Toque retal, o mais eficiente

O toque retal continua sendo o mais eficiente mesmo com a atual evolução médica.

Contamos com três tipos de exames de laboratório e imagem que podem detectar o câncer de próstata: toque retal, PSA (antígeno prostático-específico) no sangue e ultrassonografia trans-retal. No entanto a dosagem do PSA e o TR devem ser sempre realizados em conjunto. cancer-de-prostata-diagnostico-prevençaoe-exames-1Realizando somente o TR, deixaríamos de diagnosticar cerca de 45% dos tumores, enquanto o PSA sozinho vai deixar passar 18% dos tumores (estima-se que 25% dos homens com câncer de próstata terão valores de PSA normais para sua idade). Quando encontradas alterações em qualquer um destes exames, é indicada a biópsia da próstata, a fim de confirmar ou descartar o câncer de próstata. “Apesar dos avanços da medicina, a dosagem de PSA não substitui o exame do toque retal realizado pelo urologista. Somando os resultados dos dois exames chega-se a 95% das informações necessárias para um bom diagnóstico. Diagnóstico esse que será apresentado junto aos resultados apresentados com a ultrassonografia que por sua vez mostrará o volume da próstata, o tumor, a localização e o grau de envolvimento da glândula.
Nem sempre uma dosagem alta do PSA significa certeza do diagnóstico de câncer, pois, o PSA sofre influência de vários fatores, como idade, etnia, medicamentos, atividade física, entre outros. Também outras doenças, como a hiperplasia prostática benigna e infecções urinárias, podem causar alterações do PSA.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *