Religião: Hinduísmo

Hinduísmo1Os hindus acreditam em vários deuses, são politeístas. O Hinduísmo é uma das religiões mais antigas do mundo e a principal religião da Índia. Tem origem a 3000 a.C na antiga cultura Védica. É uma união de diferentes manifestações culturais e religiosas. Os principais Países que seguem o Hinduísmo são: Nepal, Bangladesh, Paquistão, Sri Lanka e Indonésia.

No ano de 1.000 a.C. surgiram os primeiros livros do Hinduísmo, eram os VEDAS, quatro coletâneas de textos. O mais conhecido é o Mahabharata, que contém o poema épico Bhagavad Gita (A Canção do Senhor).

Para os seguidores do Hinduísmo o respeito pela tradição é muito importante, a crença nos livros sagrados, a crença em Deus, a perseverança no sistema de castas (que determina o que cada pessoa é na sociedade). A confiança nos guias espirituais e acreditar em reencarnações.

Quando uma pessoa nasce dentro de uma determinada casta é resultado do karma que ele produziu em vidas passadas.

Só os brâmanes (aqueles que pertencem às castas “superiores”.) podem realizar rituais religiosos hindus e ter alguma autoridade dentro dos templos.

Para o Hinduísmo as pessoas têm um espírito (chamado de atman), este espírito em uma força indestrutível. A trajetória desse espírito depende do que fazemos, é a lei do retorno ou Lei do Carma.

Enquanto o espírito não atinge a libertação final (moksha) ele renasce por várias vezes, este morrer e nascer de novo chama-se Roda de Samsara, e só sai desta roda após conseguir a Iluminação.

São dois os rituais: Puja que é a oferenda e a meditação que é o Darshan.

Os Hinduístas são vegetarianos. Todo o alimento é oferecido aos Deus, então tem que ser livre de impurezas (livres da morte e do sangue).

Hinduísmo2As preces são feitas no idioma sânscrito, e recebe o nome de mantras que são entoados 108 vezes, para essa contagem os Hinduístas usam um colar de contas chamado japa-mala, bem parecido com o terço dos católicos. Eles são feitos de sândalo ou com sementes de rudraksha.

“OM”, “sílaba sagrada que representa o próprio nome de Deus”, é o mantra mais sagrado.

Hinduísmo3

A divindade mais popular na Índia é Shiva. Representa o masculino, o Deus da morte, das transformações, da destruição. Do caos é que nasce a nova vida. Diz a lenda que o rio Ganges nasce de sua cabeça.

Tandava é a sua dança. Com o pé direito, ele esmaga a cabeça de uma figura bestial e com o esquerdo ele faz um movimento ascendente, indicando a liberação espiritual.

É comum na Índia vermos os saddhus – homens “santos”, eles deixam tudo para trás e partem em busca de sabedoria e iluminação andam seminus, adoram Shiva, usam cabelos muito compridos e praticam ioga.

Hinduísmo4

Shakti é o princípio feminino da criação, se manifesta como Parvati (a mãe), Durga (a deusa da beleza), Lakshmi representa a senhora da arte e da criatividade e Kali a senhora da destruição. E todas são esposas de Shiva.

Hinduísmo5

Ganesha é aquele que remove todos os obstáculos Protege os sábios, escritores e comerciantes.

Hinduísmo6

Brahma é um Deus que representa a força criadora do Universo. Brahma é o primeiro deus da Trimurti, a trindade do hinduísmo, que forma junto com Vishnu e Shiva.

Hinduísmo7

Vishnu é responsável pela manutenção do Universo

Matsya é o Deus que salvou a espécie humana da destruição.

Sarasvati é a Deusa das artes e da música.

Hinduísmo8

O culto a Krishna é um pouco diferente. Na verdade, o Movimento para a Consciência de Krishna, ou simplesmente Hare Krishna, como é mais conhecido aqui no Brasil e no resto do mundo, mas tem pouca penetração na Índia.

Religião: Islamismo

Islamismo1O Islamismo é uma religião monoteísta. O ISLAMISMO é uma das quatro religiões baseadas nos ensinamentos de no ano de 570 a 632 d.C. É seguida em oitenta países. Fundamentada nos ensinamentos de Muhammad ou Mohammed ou Maomé para os ocidentais. Maomé era chamado “O Profeta”. Estes ensinamentos estão contidos no livro sagrado islâmico, o Corão.

Islã quer dizer submeter-se, é a submissão à lei e à vontade de Alá (Allah, significa Deus em árabe). Seus seguidores são os mulçumanos, aquele que se submete a Deus.

Maomé nasceu em Meca-Arábia Saudita. Maomé cresceu entre os mercadores. Seu pai se chamava Abdulá, e sua mãe chamava-se Amina. Ficou órfão muito cedo. Aos quarenta nãos começou sua pregação, foi quando teve uma visão do anjo Gabriel, que lhe revelou a existência de um Deus único. Khadija.

Casou-se com uma rica viúva, que investiu sua fortuna na propagação da nova doutrina.

Em Meca foi perseguido e obrigado a emigrar para Medina, este acontecimento ocorreu em 20 de Junho de 622, essa emigração chama-se Hégira, é o marco do calendário mulçumano até os dias de hoje.

Maomé morreu no ano 632.

Islamismo2Segundo os muçulmanos o livro sagrado, o Corão contém mensagem de Deus a Maomé e são infalíveis. São 114 suras ou capítulo, tendo o maior 286 versos.

Os muçulmanos estão divididos em dois grandes grupos: os Sunitas e os Xiitas.

Os Sunistas estão divididos em quatro grupos: Hanafitas, Malequitas, Chafeitas e Hambanitas

Os Sunitas são os seguidores da tradição do profeta. Defendem que o chefe do Estado mulçumano, califa deve reunir várias virtudes.

Os Xiitas são partidários de Ali, marido de Fátima, filha de Maomé. Defendem que a Chefia do Estado mulçumano só pode ser ocupada por descendentes de Maomé. O chefe, imã, é diretamente inspirado por Maomé e por este motivo é infalível.

O Islamismo é hoje a segunda maior religião do mundo. O objetivo final do Islamismo é subjugar o mundo e regê-lo pelas leis islâmicas. Segundo eles Alá deixou dois mandamentos: subjugar o mundo militarmente e matar os inimigos do Islamismo — judeus e cristãos

Para o Islamismo só existe Alá, único Deus. É um Deus distante, indiferente a tudo, até mesmo aos seus seguidores. Suas ordens escritas no Corão são fortes, injustas e até cruéis.

Segundo Maomé, Deus é autor do bem e também do mal. Ele diz: “Lutem contra os judeus e matem-nos”. Em outra parte diz: “Oh verdadeiros adoradores, não tenha os judeus ou cristãos como vossos amigos. Eles não podem ser confiados, eles são profanos e impuros”.

No Islamismo os anjos são inferiores aos homens, apesar de intercederem por eles. O Corão foi escrito em árabe. Segundo os mulçumanos as antigas revelações de Alá na Bíblia foram corrompidas pelos cristãos. O Islamismo crê que Maomé é o mais importante dos profetas e o último. Alá enviou 124,000 profetas ao mundo, mas somente trinta estão relacionados no Corão.

Os seis principais profetas foram:

Profeta Adão, o escolhido de Alá
Profeta Noé, o pregador de Alá
Profeta Abraão, o amigo de Alá
Profeta Moisés, o porta-voz de Alá
Profeta Jesus, a palavra de Alá
Profeta Maomé, o apóstolo de Alá.
Eles acreditam que tudo o que acontece está predestinado por Alá. Acreditam na ressurreição e no julgamento do bem e do mal. Tudo será colocado na balança.

Os muçulmanos que foram justo irão para o céu e ou outros para o inferno.

“Colunas da Religião”.

  • Crer em Alá, o único Deus e em Maomé, seu profeta.
  • Recitação do credo islâmico
  • Preces cotidianas: chamadas de slãt, feitas cinco vezes ao dia, cada vez em uma posição diferente (de pé, ajoelhado, rosto no chão, etc), e virados em direção à Meca.
  • Ramadã: o qual comemora a primeira revelação do Corão recebida por Maomé. Durate este mês tem que praticar o jejum desde o nascer até o pôr do sol.
  • Pagamento do zakat: imposto anual de 2.5% do lucro pessoal.
  • Peregrinação para Meca, pelo menos uma vez na vida para todo muçulmano que tem condições físicas e econômicas.

Islamismo3

OBS.: Meca foi onde Maomé nasceu. Eid El Adha – dia em que o profeta Abraão aceitou a ordem de sacrificar um carneiro em lugar de seu filho.

O Jihad, ou guerra santa: é a batalha por meio da qual se atinge um dos objetivos do islamismo, que é reformar o mundo.

O mulçumano que morrer numa guerra para defender os direitos do islamismo ou de Alá, já garantiu sua vida eterna.

Fontes doutrinais:

São três fontes além do Alcorão. o suna (que são as tradições), o ijma (consenso) e o ijtihad (pensamento individual).

Pilares do Islã. As características básicas da organização social e religiosa que definem o islamismo para todos os fiéis ficaram conhecidas como os “cinco pilares” (arkan) do Islã.

Profissão de fé. “Não há outro Deus senão Alá, e Maomé é seu profeta”. Essencial para ingressar na comunidade islâmica.

Religião: Espiritismo

Espiritismo1

O ESPIRITISMO é a doutrina revelada pelos Espíritos Superiores, por meio de pessoas denominadas de médiuns, e codificada no século XIX por Allan Kardec. É um conjunto de cinco livros, chamados Obras Básicas. É ao mesmo tempo uma religião, uma filosofia e uma ciência.

Religião, porque tem por objetivo o de transformar o ser humano e um ser melhor, revivendo os ensinamentos de Jesus Cristo.

Filosofia porque responde questões como, por exemplo, de onde eu vim, para onde eu vou depois de minha morte etc.

Ciência, porque estuda os fenômenos mediúnicos, provocados pelos Espíritos e que não tem explicação científica. Uma religião que não tem imagens, sacerdotes, cultos ou manifestações exteriores.

Faremos aqui um pequeno resumo da Doutrina Espírita:

  • Deus é eterno, único, todo-poderoso, bom e justo. Foi ele que criou o universo e tudo que nele existe, seres materiais e imateriais.

Seres materiais constituem o mundo visível, o os Seres imateriais o mundo espiritual ou invisível.

O mundo espiritual é eterno e o corporal pode existir ou nunca ter existido sem que isto altere o mundo espiritual.

O Espírito veste o corpo material por um tempo determinado, com a morte o espírito ganha a liberdade.

Alma é um Espírito encarnado, e o corpo sua veste, seu envoltório.

A morte destrói o envoltório, o corpo físico. E Espírito conserva o perispírito. O perispírito pode às vezes ser visível e até mesmo tangível, como no caso das aparições.

O Espírito é um ser real, definido, pode ser em alguns casos ouvido, sentido e até visto.

Existem Espíritos superiores que estão mais próximo de Deus, são os anjos ou Espíritos puros. Os Espíritos inferiores, são os maus, são mais trapaceiros e importunos, cheios de malícia. Mas podem melhorar ao passar pelos diferentes graus da hierarquia espírita, a encarnação.

Espíritos passam por várias encarnações sempre na espécie humana, nunca no corpo de animal.

Os Espíritos nunca retrocedem, eles sempre progridem, até chegar à perfeição.

Quando a alma volta ao mundo dos Espíritos, ela se encontra com todos que conviveu aqui na Terra. E se lembra de tudo o que fez enquanto esteve na Terra.

Os Espíritos bons nos atraem para o bem, como os Espíritos nos atraem para o mal.

Os Espíritos se comunicam com os seres humanos. Essa comunicação pode ser oculta ocorre quando os Espíritos exercem influência sobre nós sem que saibamos. E as comunicações ostensivas ocorrem através de manifestações materiais, sejam elas escritas ou através dos médiuns por palavras.

O Espiritismo se resume em fazer aos outros o que gostaríamos que nos fizessem, ensinamento também de Cristo.

Espiritismo2

O Espiritismo nos ensina a viver sem orgulho, sem egoísmo, a desprezar o fútil, a amar o próximo, não oprimir o outro, nos ensina que no mundo dos Espíritos nada pode ser escondido, mas que não existem faltas que não possam ser perdoadas, as oportunidades de reparar o mal de vidas passadas através da reencanação.

Durante nossa vida nos vemos envoltos em dúvidas como: para onde vou depois de morto?

Por que uns sofrem mais do que outros? Porque uns são ricos e outros pobres? Porque nascem crianças cegas, aleijadas? Porque Deus permite essas coisas? Porque os bons sofrem enquanto os maus são felizes?

As pessoas vivem sem se preocupar muito com os problemas dos outros. Mas quando são elas que têm os problemas, a morte de um ente querido, uma doença incurável, aí sim, perde a fé e entram em desespero.

Espiritismo explica!

A reencarnação.

O Espírito tem livre-arbítrio, é ele quem decide o seu próprio destino. Ele pode escolher entre o bem e o mal. Ele pode evoluir reencarnando, quantas vezes necessárias. É ele que escolhe, mas não se lembra das existências passadas. Deus é sábio, se lembrássemos do que fizemos de mal as pessoas não teríamos como viver entre eles atualmente.

A reencarnação é a oportunidade de reparação do mal que fazemos em vidas passadas. Deus não castiga. Somos nós os dos próprios causadores de nossos sofrimentos, é assim a Suprema Justiça Divina.

Através dos médiuns os Espíritos podem falar com os seres humanos vivos.

Fundamentos do espiritismo

Deus que é o Criador.

Os Espíritas não acreditam que haja um céu ou um inferno. Para eles existe o estado da alma. Não existem demônios ou anjos, mas sim, Espíritos bons ou maus. Com a caridade o Espírito atinge a perfeição. A fé não passa de uma crendice, “Fé inabalável é aquela que pode encarar a razão, face a face, em todas as épocas da humanidade”. A alma é imortal.

Espiritismo3

Podemos encontrar mais sobre o Espritísmo livros de Allan Kardec:

  • O LIVRO DOS ESPÍRITOS.
  • O LIVRO DOS MÉDIUNS
  • O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO
  • O CÉU E O INFERNO
  • A Justiça Divina Segundo o Espiritismo
  • A GÊNESE
  • Livros psicografados por Francisco Cândido Xavier, Yvonne Pereira, José Raul Teixeira, Divaldo Pereira, entre outros.

Budismo

Budismo1

O Budismo não é só uma religião, mas é também uma filosofia de vida baseada nos ensinamentos de Buda.Buda não pretendia converter as pessoas, mas sim iluminá-las com seus ensinamentos.O Budismo é uma religião que ensina o conhecimento, a sabedoria e traz paz interior, harmonia e felicidade às pessoas.Ela é voltada para a mente.

Foi fundada na Índia por volta do século VI a.C. por Buda Shakyamuni, ele nasceu no norte da Índia, atualmente onde fica o Nepal. Era um príncipe muito rico e se chamava Sidarta.

Quando completou 29 anos de idade, ele teve quatro visões que transformaram sua vida.

  • O sofrimento devido ao envelhecimento, doenças e morte – mostraram-lhe a natureza inexorável da vida e as aflições universais da humanidade.
  • A última visão era de um eremita que lhe revelou o meio de alcançar a paz.

Foi neste momento que Buda percebeu a futilidade das coisas materiais, a insignificância dos prazeres sensuais, abandonou sua família, deixou toda a sua riqueza e partiu em busca da verdade e da paz eterna.

Quando tinha 35 anos de idade, sentou-se debaixo de uma árvore Bodhi e de repente, experimentou a extraordinária sabedoria, compreendeu a verdade suprema do universo alcançando profunda visão dos caminhos da vida humana.

Alcançando essa Iluminação passou a ser chamado de Buda Shakyamuni (Sábio do clã dos Shakya), Buda quer dizer aquele que é iluminado.

A fundação do budismo

Buda não é um deus. Foi um ser humano iluminado. Ele viajou por toda a Índia ensinando seus conhecimentos.

Morreu aos 80 anos. Traduzia suas próprias ações em palavras. Dava o exemplo do que pregava.

Ele não exigia uma crença cega, adotava o lema “venha e experimente”.

Após sua morte foi realizado o Primeiro Concílio Budista, para coletar e organizar os ensinamentos de Buda, que foram chamados de Dharma. Que é o guia e fonte de inspiração da Sangha. Seus discursos são chamados de Sutras

Foi no Segundo Concílio Budista em Vaishali que as duas grandes tradições, hoje conhecidas como Theravada e Mahayana, começaram a se formar.

Os Mahayanistas seguem os sutras.

Os Theravadins seguem o Cânone Páli.

Budismo chinês

A fé budista se espalhou por toda a Ásia. Mas praticamente se extinguiu na Índia. Em 1.300 a.C os chineses introduziram o Budismo no Japão.

Budismo2Buda ensinou que todos são capazes de atingir a iluminação através da prática.

Karma é a Lei de Causa e Efeito. Atitudes boas produzem karma bom, as más em karma negativo. O que experimentamos nessa vida são reflexos do karma da vida anterior.

Buda ensinou que todos os seres estão em um ciclo contínuo, vida, morte, renascimento até alcançarem a Iluminação.

Exitem seis tipos de existência: Devas (deuses), Asuras (semideuses), Humanos, Animais, Prtas (espíritos famintos) e Seres do Inferno.

Nirvana

Os Budistas acreditam que quando eles conseguem se livrar do apego, viver com bondade no coração e se amorosos com todos os seres vivos, eliminam o karma negativo e alcançam a iluminação. Ocorrendo isso eles saem do cilco de morte e renascimento e alcançam o nirvana.

Nirvana não é um local físico. Nirvana é um estado de perfeita felicidade. É o fim das reencarnações.

Sofrimento para os Budistas

 Buda Shakyamuni ensinou que o sofrimento é auto-infligido, oriundo dos nossos comportamentos e pensamentos, influenciados pelos nossos sentidos.

Nossos desejos, nossas emoções, são fontes de sofrimento. Sentimentos como raiva, mágoa ou desejar muito dinheiro ou fama nos traz sofrimento. Sofrimento = ações da mente, o Budismo nos ensina a livrar-nos desses sentimentos e por consequência desejar e fazer coisas boas, importante para alcançarmos a libertação do Ego do ciclo de nascimento, doença e morte.

As Quatro Nobres Verdades são:

Ninguém esta livre do nascimento, envelhecimento e morte que causam o sofrimento.

A ignorância leva ao sofrimento

Alcançando o Nirvana cessa o sofrimento

O caminho que leva à cessação do sofrimento é o Nobre Caminho Óctuplo, que consiste basicamente de:

O Nobre Caminho Óctuplo consiste de:

  • Conhecer as Quatro Nobres Verdades.
  • Compreensão Correta.
  • Pensamento Correto.
  • Palavra Correta.
  • Ação Correta.
  • Meio de Vida Correto.
  • Esforço Correto.
  • Plena Atenção Correta.
  • Concentração Correta.

As seis perfeições:

    • Caridade
    • Moralidade
    • Paciência
    • Meditação
    • Perseverança
    • Sabedoria

Tornar-se um Buda
Para se tornar um Busista, deve-se receber refúgio na Jóia Tríplice que conssiste no Buda, no Dharma e na Sangha.

Os Cinco Preceitos são:

Não matar, não roubar, não ter conduta sexual inadequada, não mentir e não se intoxicar.

Budismo3

O altar é montado para a recitação dos mantras. Mantra é uma sequencia de palavras repetidas, esta repetição é uma forma de meditação.

O Budismo ensina fazer reverências e não a adorar as imagens. Fazer reverências e oferendas são manifestações de respeito e veneração.

Meditação

É praticada para obter a felicidade interior, para alcançar a purificação da mente e a liberdade.

A verdadeira felicidade está na nossa mente, e os meios para alcança-la pode ser praticado por qualquer um.

Características do budismo

Bodhisattva — Um ser iluminado que fez o voto de servir a todos os seres vivos. Os mais conhecidos são:

      • Bodhisattva Avalokiteshvara (Kuan Yin Pu Sa) “Aquele que olha pelas lágrimas do mundo.
      • Avalokiteshvara é, hoje em dia, geralmente caracterizado, na China, como uma mulher.
      • Bodhisattva Kshitigarbha (Guardião do Mundo)
      • Buda — Este é muito mais do que um simples nome. A raiz Budh significa “estar ciente ou completamente consciente de”. Um Buda é um ser totalmente iluminado.
      • Buda Shakyamuni (o fundador do Budismo)
      • Buda Amitabha (Buda da Luz e Vida Infinitas)
      • Bhaishajya Guru (O Buda da Medicina)
      • Buda Maitreya (O Buda Feliz)
      • É o Buda do Futuro

Depois de Shakyamuni ter se iluminado, ele é aguardado como sendo o próximo Buda.

 Instrumentos do Dharma

O “peixe” de madeira é normalmente colocado à esquerda do altar, o gongo colocado à direita, o tambor e o sino à direita.

      • O Incenso purifica não só a atmosfera, mas também a mente.
      • A Flor de Lótus é o símbolo da pureza. Também significa tranqüilidade e uma vida distinta e sagrada.
      • Mudra – Os gestos das mãos que geralmente se vêem nas representações do Buda, são chamados de “mudras”. os quais propiciam comunicação não-verbal. Cada mudra tem
      • Oferendas são colocadas no altar.

Suástica — Foi um símbolo auspicioso na Índia antiga, Pérsia e Grécia, simbolizando o sol, relâmpago, fogo e o fluxo da água.

Budismo4

Fo Tzu (Pérolas de Buda)— Também conhecido como rosário budista.

Como os Budistas encaram a morte:

A morte é simplesmente a separação de corpo e “consciência”, a morte busca “abrigo” em um novo corpo. Se entendermos isso, não há razão para lamentarmos. Deveríamos sim ajudar os que estão à beira da morte a ter um nascimento positivo

Funeral

O funeral budista é normalmente conduzido com solenidade. Não se estimula o luto. Há queima de incenso e oferenda de frutas e flores. Se a família assim o desejar, pode haver monges budistas ministrando bênçãos e recitando sutras.

Budisnmo5

A cremação é comum no Budismo. Buda foi cremado 2.500 anos atrás.

O que é um Japa Mala: Terço ou Rosário

Japa” é uma palavra em sânscrito que vem da raiz verbal “jap”, que significa “murmurar, sussurrar”. É a repetição das palavras, prática feita pelos yigus. É um murmúrio, um mantra com nome de uma divindade o de trechos das escrituras.

japa mala

A repetição destes mantras, o “Japa“, é uma “corrente”, um “cordão de energia”.

Mala” é uma palavra que tem vários significados em sânscrito, mas no nosso caso vamos falar somente do “cordão de contas”.

Assim sendo temos duas correntes o Japa que é espiritual e a material, o “Mala”.

As energias espirituais invocadas “Japa” energizam o “Mala”.

Normalmente, o “Mala”, utilizado para, “murmurar” o “Japa” que contém 108 contas.

A conta central no “Mala” é o “Meru”, ela mostra que o seu “Japa” está completo, você já completou as 108 vezes.

Fazendo seu “Mala” de 108 mantras você ganha um passo a mais completar seu caminho de elevação espiritual.

Cada volta dada em seu “Mala” você sobe um degrau na escada para a união com o éter divino.

O “Mala” serve para você contar e não se perder nos mantras sozinho ou com outras pessoas.

Entenda o que é Mantra

A palavra mantra vem do sânscrito, “man” que significa “mente” ou “pensamento” e “tra” significa “proteger” “socorrer”. Mantra é igual proteger nossas mentes de maus pensamentos.

Os mantras são um meio de comunicação espiritual das religiões hindu e budista

Quem entoa mantra (que normalmente é entoado em sânscrito), pede a intercessão espiritual. É uma forma de oração repetida, a fim de magnetizar a energias de uma divindade.

OM é uma sílaba sagrada, significa Ômega que é a energia feminina da Mãe Divisna. Quando entoamos o OM estamos tentando trazer para a matéria a energia da palavra seguinte.

Um exemplo prático: OM VISHNU OM, estamos entoando a intercessão de Vishnu, que é responsável pela instrução e compreensão dos mistérios da vida.

Dizer o nome de Vishnu junto a um OM traz sabedoria.

Entoar OM SHIVA OM, traz o poder purificador e protetor de Shiv.

Quase todas as religiões entoam alguma forma de oração.

Os Mantras têm poder de elevar a consciência, conseguir direção espiritual e nos curar. Eles solucionam problemas, manifestam desejos.

Entoar mantras é uma forma de meditar. A mente focaliza-se no mantra e os pensamentos tornam-se positivos.

Entoar mantras é uma forma de meditação. Uma pessoa entoa mantras repetidas vezes, em murmúrio ou em alto tom.

Usando um “mala”

japa mala1Segure o cordão de contas, o “Japa Mala”, sempre com a mão direita e deixe-o escorregar pelo seu dedo do meio. O dedo indicador não deve encostar-se às contas, ele fica estendido durante toda a entoação.
Comece sempre após conta grande, o “meru” e não deve ser contado, nem tocado pelo dedo do polegar, o Meru é apenas o ponto inicial.
Puxe as contas de seu “Mala” em sua direção, uma a uma, entre seu dedo polegar e o dedo do meio, usando seu polegar para “contar” e puxar cada conta, puxando, enquanto entoa o mantra, e passando para a próxima conta, até completar a série de 108 contas .
O polegar é seu chakra da garganta, o dedo do meio representa o éter divino no chakra do coração
O “Mala” deve ser usado sempre com calma e firmeza de palavras.
O Meru é a conta estática do “Mala”, não o ultrapasse, caso queira continuar. Vire as contas ao redor e continue na direção inversa
O Japa Malas pode ajudá-lo a tirar a tensão, a ansiedade, o medo e levará você a atingir níveis mais altos de consciência e realização espiritual.
Usando o Japa Malas você pode aumentar sua felicidade e capacidade de meditar.
Ele pode ser usado como pulseira ou um colar. Como pulseira ele tem vinte e sete contas.

O poder de um “mala”

Se você praticar por quarenta dias seguidos, o seu “Mala” ficará carregado de energia

O certo é utilizar um “Mala” para cada mantra. Pois a energia de um cobre a do outro.

Ele deve ser bem guardado, em local limpo e sagrado. O melhor local é sobre o altar.

Uma tradição em várias religiões.

japa mala2

Os maometanos têm um “mala” chamado “tasbi“, eles mantém nas mãos enquanto repetem as orações. Rolam as contas entre os dedos enquanto repetem o nome de Allah.

japa mala3

Significado de terço e rosário.

Os cristãos usam o “terço” nas mãos, enquanto rezam suas orações diárias.

Rosário é o conjunto de 200 Ave-Marias, 20 mistérios que contemplamos desde a anunciação do anjo Gabriel até a coroação de Maria como Rainha do Céu e da terra. Já o Terço como o próprio nome diz se trata da quarta parte do Rosário, ou seja, 50 Ave-Marias ou 5 mistérios.

O rosário tem muitas semelhanças com o “Mala”. Os exploradores romanos foram a Índia e conheceram o mala, eles entenderam ” jap mala” ao invés de “Japa Mala”.

“Jap” significa “rosa” e um mala então, foi levado ao Império romano como “rosarium”.

O rosário dos Católicos têm 50 contas menores separadas de dez em dez por um contra maior e os extremos são unidos por um crucifixo. Somando 54 contas (a metade do rosário oriental de 108 contas).

japa mala5

O Budismo Tibetano utiliza malas maiores com 111 contas. Eles contam um “Mala” com 100 contas e 11 extras caso possam cometer erros.

No Budismo, a utilização do “Mala” pode ser feita tanto com a mão direita como com a esquerda.

A religião islâmica tem um rosário de 99 contas. O rosário se divide em três séries de 33 contas, cada uma delas representa um mundo. A conta que falta só se encontra no Paraíso.

Eles podem ser feitos com diversos tipos de material, desde ossos de animais ou até mesmo humanos (ossos de crânio humano), flores secas, madeira, ametista, sementes etc.

O significado do número 108.

Cento e oito é o resultado de nove vezes o número doze.

O poder dos nove ou novena é prática antiga da religião católica.

Três é o poder da Chama Trina.

Multiplicando o poder da chama da Trindade no coração, pelo poder da origem desta Chama Trina, no coração da Poderosa Presença do EU SOU individualizada, encontramos o resultado de três vezes três, o poder do número nove.

Nove é o número do Espírito Santo.

E o número doze?

Bem, foram 12 apóstolos de Jesus. 12 legiões de anjos. 12 são os signos do zodíaco. 12 hierarquias celestiais. O chakra do coração tem doze pétalas. 12 são as virtudes de Deus: poder, amor, mestria, controle, obediência, sabedoria, harmonia, gratidão, justiça, realidade, visão e vitória divina.

Doze são os raios de Deus. Doze são os frutos da Árvore da Vida.

Assim, grande é o poder dos 108, pois ele representa a multiplicação dos poderes de nove por doze. Isto é a confirmação da vontade de Deus nos 12 raios da consciência divina manifestados na Terra.